Imagem

Nos dias de hoje, onde os filmes explicam a cada cena como as pessoas devem se sentir e onde um turbilhão de filmes de ação e de lendas fantasiosas sem noção, um filme como O Baile, sem diálogos e com fundo histórico pode causar uma certa aversão. O filme é lindo, uma obra sem igual. Conta parte da história da França, pelos anos de 1930 a 1980, através de dança e interações dos personagens reunidos em um salão de baile. As pessoas poderão identificar os usos e costumes, em vestuário e nos gestos – um panorama com recordações das pessoas, da música e da dança, estilos e grupos, que percorre desde a ocupação nazista até o surgimento do rock. O filme, o diretor e a trilha sonora ganharam prêmios internacionais, sendo inclusive, indicado como melhor filme estrangeiro de 1984 no Oscar.

Um filme para ser deliciado por todas as pessoas que gostam de cinema, dança, música, arte, espetáculos, história, antropologia, cultura, psicologia e tantas outras áreas da vida. Uma obra sem igual. Uma poesia sobre a vida em forma de filme.

Igor Luchese