Imagem

Um homem é o que come. Nunca um filme foi tão direto ao ponto. Aquele saquinho de lixo inocente atirado na rua ou na praia tem um destino: o nosso estômago representado no filme acima por pássaros tão inocentes quanto impotentes diante da “comida” que recebem goela abaixo pela civilização mais avançada da Terra.

“A Ilha de Midway”, como o nome sugere, fica no meio do caminho entre a Ásia e a América no Norte, no Oceano Pacífico. Trata-se, na verdade, de um atol de apenas 6.2 km², que recebe um trágico conjunto de correntes marinhas que fazem o lixo despejado pelos humanos nas praias e no mar, composto 90% por plástico, caminhar pelo oceano até a goela dos pássaros que lá habitam.

O morador mais ilustre do atol de Midway é o albatroz Laysan. Pesquisas mostram que praticamente todos os pássaros têm plástico em seus aparelhos digestivos. Dos cerca de 1,5 milhão de albatrozes que habitam a ilha, pelo menos 1/3 morre em consequência disso.

Desde 2009, Chris Jordan- um artista de Seattle, cidade da costa oeste americana que deve ser responsável por grande parte desse lixo- se dedica ao projeto “Midway: Message from the Gyre”, série de fotografias de filhotes de albatroz “assassinados” pelos objetos de plástico ingeridos na costa da Midway Island. O trailer acima é o passo seguinte, um documentário, previsto para o final de 2013 que está sendo financiado por doações de pessoas do mundo todo via internet. Atingiu o seu objetivo anteontem, dia 18/02, mais de 100 mil dólares, no KickStarter

Na Segunda Guerra Mundial, ironicamente, o atol de Midway foi palco de uma das mais sangrentas batalhas navais da história. Seis meses após ao ataque japonês a Pearl Habor, a marinha norte-americana destruiu a japonesa na que foi considerada a mais importante da campanha no Pacífico durante a Segunda Guerra.

Por sua localização estratégica, assim como Pearl Habor, Midway também hospedava um base militar para proteger a costa norte-americana. Hoje é um sintoma do estado doentio da civilização. Que este sinal de alerta seja ouvido pelo maior número de pessoas e nos conduza para ação em direção à saúde dos albatrozes e dos nossos próprios estômagos.

Confira o trailer: