A julgar por um estudo recentemente divulgado pela Brigham University, nos EUA, solidão é meio caminho andado em direção à cova. O trabalho conclui que gente solitária tem 50% mais chances de morrer do que aqueles que estão sempre cercados de familiares ou amigos. Isso significa dizer, segundo os pesquisadores, que a solidão deveria ser encarada como um problema de saúde pública – tão preocupante quanto o tabagismo e o alcoolismo.

Uma vida solitária começa a virar problema quando ela passa a infligir sofrimento ao indivíduo. “Isolamento social geralmente faz parte do quadro clínico da depressão, junto com sensação de desesperança, incapacidade de sentir prazer e a ideia de que nada vale a pena”, diz o psiquiatra Neury Botega.

Todo ano, 1 milhão de pessoas cometem suicídio. Essa é a 7ª maior causa de morte entre a população masculina. Nos últimos 45 anos, o número de suicídios cresceu 60%. Para cada suicídio consumado, ocorrem de 12 a 25 tentativas malsucedidas. E a solidão pode estar relacionada a 50% dos suicídios cometidos anualmente.