Continuando a série em que certas frases que entraram para a história não passam de grandes mal-entendidos, vamos a mais uma.

 “Elementar, meu caro Watson”

A frase mais famosa do detective não aparece em nenhuma das 60 histórias escritas por seu criador, sir Arthur Conan Doyle. Nos textos originais, Sherlock Holmes diz apenas “elementar”. Quem adicionou o “meu caro Watson” foi outro autor, Pelham Wodehouse. No livro Psmith Journalist, de 1915, um personagem de Wodehouse faz referência a Holmes e murmura: “Elementar, meu caro Watson, elementar”. A frase caiu no gosto popular. E acabou sendo atribuída ao detetive de Doyle.