O nome lembra, com certeza, Veneza, que, em todo o mundo significa refinamento, beleza e alegria de viver. Apesar da famosa Piazza San Marco, dos riquíssimos museus da cidade repletos de obras-primas e dos passeios de gôndola, a comida veneziana encanta a todos. A cidade de Veneza se localiza no mar Adriático e já teve um dos mais concorridos portos marítimos da história: a ele chegavam inúmeros navios mercantes vindos do oriente. Temperos e condimentos foram a base do comércio dos antigos romanos e ambos são importantes até hoje na cozinha veneziana. Frutos do mar são o resultado da combinação de peixes locais com magníficos e exóticos temperos. A sopa de peixe e o risoto veneziano, guarnecido com mexilhões, são muitíssimo apreciados. E até mesmo os que se declaram inimigos do fígado acabam sucumbindo ao “Fegato alla veneziana”. Cebolas, suco de limão, vinho e um toque exato de temperos constituem o segredo dessa encantada maravilha da cozinha local.

Aos venezianos é atribuída a glória de terem inventado o famoso prato “Risi e Bisi” e a “Pasta e faglioli”. A polenta, popular em toda a Itália, possui um lugar especial na cozinha veneziana. A Itália tem, como característica, uma maneira especial de transformar tudo o que vem de fora, seja visto, por exemplo, o tomate. O fubá, outro exemplo, veio do Novo Mundo e a ele voltou, com os emigrantes italianos, em forma de polenta, que também é usadoem bolinhos. Sobremesastrabalhadas, entretanto, não são comuns. Elas são mais simples, como frutas frescas, que são mais encontradas. Em ocasiões especiais, contudo, os venezianos não dispensam guloseimas feitas de chocolate. Fora da cidade de Veneza, o orgulho do Vêneto são os seus maravilhosos vinhos, mas isso é pra outra conversa.

A receita tem o título de Arroz Veneziano com Ervilha (Risi e Bisi): 3 colheres (sopa) de azeite de oliva (por minha conta, coloquei o tipo extra virgem); 3 colheres (sopa) de manteiga sem sal; 2 fatias grossas de presunto picadas (cito apenas presunto e não presunto cru, pois “abrasileirei” para ficar mais próxima às pessoas em geral e fiz fatias grossas para que ele fosse mais perceptível pelo paladar, tendo em vista que o nosso presunto não possui as características de sabor marcante que tem o presunto cru italiano); 1 cebola pequena bem picada; 3 colheres (sopa) de salsa bem picadas; 400g de ervilhas frescas; 1 xícara de arroz (use o arroz que você está acostumado a comer e não o arbóreo ou qualquer outro que seja de terras italianas);1 litro de caldo de galinha e 100g de queijo parmesão ralado.

Para se fazer, coloca-se o azeite e a manteiga em uma frigideira e leva-se ao fogo médio. Junta-se o presunto, a cebola e a salsa. Refoga-se até a cebola dourar e ficar transparente. Então, as ervilhas são colocadas e cobertas com água. Isso é cozido por uns 5 minutos. Junta-se o arroz e o caldo de galinha. Deixa-se ferver. Nesse momento, o fogo é reduzido e deixa-se cozinhando por cerca de 15 minutos. Serve-se com queijo ralado.

Como em todos os lugares, a cultura local supera a receita original e, mesmo não tendo o objetivo de descaracterizar, as pessoas usam das suas coisas próximas para concluir as receitas que vão chegando às suas vidas.

Bom apetite.