Autor do romance “As Horas”, ganhador do prêmio Pulitzer, sobre a vida e obra da autora britânica Virginia Wolf, Michael Cunningham nos apresenta uma obra que mostra o mundo das artes e o que envolve as pessoas em torno de desejos e analisa, também, as frustrações que ocorrem com a maturidade.
O livro proporciona descobertas inusitadas e a cabeça do leitor deve estar preparada para tais acontecimentos. Conta a história de Peter Harrys, dono de uma galeria de artes em Nova York, em plena crise dos seus quarenta anos. Quando ele recebe a visita do cunhado, em sua casa, isso provoca uma série de mudanças em sua vida e na sua forma de ver o mundo, colocando em dúvida todos as coisas que o cercam – família, trabalho, casamento e relações sociais.
Um trecho um pouco revelador: “Peter arrisca um olhar para Mizzy. Lá está de novo, aquele lampejo de afinidade secreta. Nós, nós, homens, somos os medrosos, os errados e nervosos; se agimos como céticos e agressivos às vezes é porque suspeitamos que estamos errados de algum jeito profundamente incalculável que as mulheres nunca estão.”
Esse trecho já mostra o que vocês vão encontrar.
Bárbaro!!!