Estava lendo sobre a nossa diversidade cultural, que teve como consequência uma riqueza musical sem precedentes – basta escutar os sons que as pessoas produzem pelo país afora e a sua originalidade e criatividade. Claro, também temos focos intensos (que a mídia gosta de divulgar) de estilos aculturados, mas devemos esquecê-los e rezar para que continue a máxima da questão cultural: o que é bom permanece e o resto desaparece na poeira do tempo, porque passou como o vento e apenas isso.
Aos interessados em escolas diferentes, listo abaixo algumas. Lembro que todas as cidades têm escolas e grupos culturais com alta qualidade e que as pessoas devem procurar esses movimentos e provar de sua riqueza. Claro, lembrando que devemos fugir das porcarias que a mídia tem nos obrigado escutar.
– Academia de música moderna (Rua Juvêncio Costa, 237, Florianópolis. Tel. (48) 3334-7495. O foco da escola é a música popular, a improvisação e a prática em conjunto. Os pequenos fazem musicalização infantil.
– Escola de baterias Jorge Casagrande (Rua Visconde de Pirajá, 487, loja 209, Rio de Janeiro. Tel. (21) 2512-2336. Especializada nos ritmistas, oferece curso de percussão com objetos inusitados, como baldes, raladores e frigideiras.
– Conservatório musical Souza Lima (Rua José Maria Lisboa, 745, São Paulo. Tel. (11) 3884-9149. Oferece aulas de instrumentos populares, além de alguns eruditos. Conta com estúdios, biblioteca e livros didáticos próprios.
– Escola municipal de música (Rua Vergueiro, 961, São Paulo. Tel. (11) 3209-6580. Ministra cursos gratuitos de todos os instrumentos de uma orquestra, além de regência, canto, cravo e outros. No entanto, é preciso que o aluno seja dedicado: a duração dos cursos varia de dois a 12 anos.
– Conservatório de Tatuí (Rua São Bento, 415, Tatuí, São Paulo. Tel. (11) 3205-8444. Fundado há 57 anos, é voltado para quem quer ser profissional da música e também do teatro. Possui alojamento e 47 cursos gratuitos.

Abraços e bons cursos.