Os debates ambientais têm uma certeza: o plástico é um dos grandes vilões para o meio ambiente. Além de levar anos para se decompor, seu consumo é desenfreado – segundo uma campanha do Ministério do Meio Ambiente, 1,5 milhão de sacolas plásticas é consumido por hora só no Brasil. O impacto ao meio ambiente é enorme, embora nem sempre seja fácil de ver. Por serem leves, os sacos de plástico voam com o vento e podem entupir bueiros e provocar enchentes, ou ir parar na natureza e ser confundidos com comida pelos animais. É comum, por exemplo, tartarugas-marinhas morrerem engasgadas com sacos plásticos, que se confundem com águas-vivas, um dos seus alimentos. E, segundo estimativas, mais de cem mil mamíferos e pássaros morrem todos os anos devido à ingestão de sacos plásticos. Já no caso das garrafas PET, se não forem separadas para reciclagem, dificultam a decomposição do lixo em aterros sanitários, pois impermeabilizam as camadas de lixo, impedindo a passagem de gases e líquidos.
Como fazer para minimizar o impacto do plástico no meio ambiente? Confira dicas básicas para reduzir o consumo diário de plástico. Pequenos gestos fazem a diferença, se adotados como prática e difundidos.
1- Renda-se às ecobags
As sacolas retornáveis são uma maneira de diminuir o uso de sacolas plásticas na hora das compras.
2- Reinvente seus sacos de lixo
Já que a sua ecobag é para ser usada no supermercado, seja criativo na hora de jogar seu lixo doméstico. Em vez de sacolas, use caixas de presentes ou embalagens de papelão para acomodá-lo.
3- Separe seu lixo para reciclagem
Não custa nada para você e é uma fonte de renda para quem trabalha com coleta seletiva. Atualmente, os produtos produzem muito mais lixo reciclável e a medida salutar é separação.
4- Use garrafas retornáveis
No caso dos refrigerantes, é fácil achar garrafas de vidro, cuja produção agride menos o meio ambiente, além de ser reciclável. Quem compra água deve preferir os galões de maior volume, semelhantes aos de bebedouros, muitos dos quais também são retornáveis.

Obrigado. A natureza e as gerações futuras agradecem seus atos.