– O risoto é uma receita tradicional italiana e um dos mais versáteis pratos que se tem notícia.

– Desde que todos os ingredientes estejam à mão: picados e separados, não leva mais que 30 minutos para o risoto ficar pronto.

– Escolha um arroz de boa procedência, de preferência italiano e não lave o arroz! O amido que está impregnado na casca é o responsável por engrossar o caldo do risoto durante o preparo. O arroz indicado para o preparo do risoto é o arborio, carnaroli ou vialone.

– Doure a cebola muito bem picada em fogo baixo para obter uma cebola transparente, adocicada e não muito ácida.

-Faça a ‘selagem’ do grão de arroz após ter dourado a cebola “doure” o arroz por alguns instantes para que os grãos criem uma camada exterior que irá impedir que seu risoto fique “papa”, este processo sendo bem realizado irá resultar em um risoto com grãos soltos, firmes e ainda com cremosidade no caldo.

– O primeiro líquido que é adicionado à receita é o vinho branco seco, após a selagem dos grãos para agregar uma nota ácida, levemente agressiva e tem apenas a finalidade de trazer uma maior complexidade de sabor ao prato. Não precisa ser um vinho de excelente qualidade mas cuidado pois um vinho doce de garrafão pode estragar o risoto. Outro ponto importante é não adicionar o vinho gelado pois o choque térmico produz alterações no arroz.

– O próximo passo é agregar um bom caldo de legumes, frango ou peixe (caso o risoto seja de frutos do mar), o caldo irá cozinhar o arroz incorporando seus sabores, aromas e nutrientes. Detalhe importante: o caldo deve estar em ponto de ebulição ao ser adicionado, um caldo frio irá parar ou retardar o cozimento do arroz, portanto fique atento! É possível fazer um risotto com água e caldo em tabletes mas, de longe, é preferível fazê-lo com um bom caldo caseiro, feito por você mesmo! Para o risoto, é imprescindível manter uma panela com caldo fervendo, em fogo médio, ao lado e sempre à disposição.

-Adicione o caldo aos poucos, incorpore e mexa o risoto enquanto os grãos absorvem e cozinham ao mesmo tempo. Caso você adicione muito caldo, os grãos irão absorver o caldo muito rápido resultando em um grão mole por fora e cru por dentro.

-Não deixe o risoto parado, misture de maneira delicada e uniforme. O que queremos é liberar o amido para engrossar o caldo e obter um cozimento uniforme.

– A finalização do risoto deve ser feita fora da chama do fogão. A manteiga é adicionada para “mantecare” o risotto dando brilho e mais sabor. O queijo parmesão ralado é adicionado desta forma para não grudar no fundo da panela e também para não queimar.

– O ponto do risoto deve estar denso e cremoso o bastante para sustentar uma onda quando a caçarola é trazida em um movimento de vai e vem. O grão deve apresentar uma certa resistência à mordida, porém seu interior não deve apresentar aquele “pontinho” branco.

– Ainda finalizando dê um toque de azeite de oliva extra virgem e pimenta do reino moída na hora.

– Para a sobremesa experimente preparar um arroz doce utilizando arroz arborio e favas de baunilha.