Fazia muito tempo que um artista não me tocava de verdade. A última talvez foi Amy Winehouse, mas não se compara ao que Adele me provocou. Adele canta com a autoridade das divas incontestáveis de Motown e é capaz de fazer um homem crescido chorar quando canta acompanhada de um piano e de fazer uma plateia inteira gargalhar quando ela, em um show na Alemanha, vai no meio do público para dar um beijo em um rapaz que gritou “eu te amo”.

Adele laurie Blue Adkins é inglesa e tem apenas 23 anos recém feitos. E em janeiro desse ano lançou seu segundo cd, chamado 21. Seu primeiro cd foi lançado em 2008 com o álbum 19, onde ela escreveu cada música com mais de cinco garrafas de vinho.

Eu gostei do primeiro cd, mas não dei bola. Foi quando ouvi Someone Like You que me rendi ao efeito Adele. Trata-se de uma música que, como observou Larissa Magrisso, é melhor consumir com o coração partido (e uma caixa de lenços ao lado). Adele dirige-se ao seu ex, pois ouviu dizer que ele encontrou uma garota e, agora, é um homem casado. Na letra, ela o chama de “velho amigo”, luta contra seus próprios sentimentos (“imaginava que você veria meu rosto e se lembrasse de que, para mim, não está acabado”) e sua própria voz expressa isso: há momentos em que Adele parece se debater contra lágrimas que desejam sair. Mas sua voz, doce, dolorida e quase embargada, não esmorece.

No refrão, ela arremata: “Não se preocupe/ Eu vou encontrar alguém como você/ Não desejo nada além do melhor para você também/ Não se esqueça de mim, eu imploro”. Curiosamente, é sempre nesse momento que eu, que já assisti a esse vídeo dezenas de vezes, sou vitimado por ciscos que estranhamente caem em meus olhos toda vez que revejo essa interpretação da Adele.
James Corden, que anunciou a apresentação de Adele na cerimônia dos Brit Awards, escolheu as palavras perfeitas para falar da cantora: “Não há nada como a sensação de quando você está ouvindo uma música, escrita por alguém que você não conhece e que você nunca conheceu, mas que de alguma maneira foi capaz de descrever exatamente como você se sentiu em um particular momento de sua vida. Se você alguma vez teve o coração partido, você irá lembrar disso agora.”

Torço para que “Someone Like You” receba todo o sucesso que merece ter. Aliás, todas as faixas de 21, que espelham o talento de uma cantora que surgiu para marcar época, com sua voz e o seu jeito natural de ser (o modo como ela age como se fosse uma colegial tímida, desajeitada e emocionada, enquanto era ovacionada pelo público ao final de sua apresentação nos Brit Awards é simplesmente perfeita).

Clique abaixo e aprecie uma apresentação de uma das maiores cantoras da atualidade, que com apenas dois álbuns já quebrou recordes de lendas como Madonna e The Beatles.

Anúncios