José entra no hall do edifício. Escuta os passos ligeiros.
Pensa que, com certeza, são os chinelos amarelos, porque os chinelos vermelhos fazem um ruído mais grave.
Vai até o elevador. Porta de madeira e o interior na cor laranja. A porta abre e José é soterrado pelo cheiro forte de bronzeador. Fecha os olhos e enxerga Cíntia de biquíni e ele passando bronzeador, quando alguém bate forte no seu ombro.
– Que qui é seu Zé, dormiu impé?
Abre os olhos e enxerga Julião, um animal com 150 quilos de puro músculo.
– Porra, enchendo o meu saco até no sonho?

– E foi aí que o cara encheu o senhor de porrada, seu Zé? Pergunta o enfermeiro.
– Foi, responde baixinho José, porque o algodão na boca não deixava falar muito bem.