Jacó e Judite são amigos de Manuel. Manuel adora Judite e ela durona, nem olha para o lado.
Um dia, Manuel está cozinhando em seu apartamento, quando chegam Jacó e Judite. Ele entra pedindo cerveja e ela está com um vestido longo de um tecido bem fino. O dia está muito quente. Os pezinhos em sandálias. Lindinhos.
Judite durona.
Jacó bebendo.
Manuel coloca umas cervejas no freezer para gelar melhor. Abaixa-se e olha para o lado. Judite olha para ele e cruza as pernas. Manuel fica estático por alguns segundos.
Jacó bebendo.
Judite cruza as pernas, novamente.
Jacó conta uma piada e Manuel ri. Sai um riso nervoso. Jacó ri mais ainda. Manuel engole seco. Judite olha para ele e dá um sorriso. Manuel volta e completa o almoço.
Jacó bebendo.
Judite puxa o vestido para cima para deixar as pernas frescas embaixo da mesa.
O garfo de Manuel cai. Judite deixa que ele veja a calcinha branca. Jacó levanta para pegar mais uma cerveja. Judite passa o pezinho na perna de Manuel. Manuel se engasga.
Depois do almoço, Judite quer lavar a louça. Pega um avental de plástico. Manuel diz que não e tira o avental da mão dela. Aproveita e roça a mão na cintura dela. Jacó para de beber, pede um chazinho de boldo e diz para o Manuel não encher o saco, porque mulher é assim mesmo: cozinha, cama e a sala só pra passar do quarto para a cozinha. Manuel sorri e chama Jacó de porcão, rindo.
Judite pergunta onde tem detergente. Manuel mostra a despensa. Jacó se joga no sofá. Judite chama Manuel porque não consegue achar. Manuel vai. Encontra Judite encostada na porta do armário, com a calcinha na mão. Manuel engole seco e sai da despensa.
Porra, pensa, é a mulher do amigo dele. Muito boa, mas é a mulher do cara. Bom, ele pensa outra vez, que se foda o cara!
Chega na sala e Jacó diz que vai mijar. Manuel volta para a cozinha e Judite está lavando a louça. O sol atravessa o vestido. Manuel senta e fica observando. Jacó entra na cozinha e passa a mão na bunda dela. Manuel cruza as pernas e aperta o próprio saco. Jacó dá uma risada e diz para a mulher fazer rápido, porque ele quer fazer uma coisinha depois. Judite sorri sem jeito e termina rápido de lavar.
Na saída, Judite passa por Manuel e quase se esfrega no corpo dele.
Manuel fica com todas as suas fantasias. Pega o telefone e pede quatorze pizzas.

Extraído do livro Desejos Urbanos, de Igor Luchese.