Este filme de 1994 conta a história de Carlo Maria Broschi, um lendário cantor do século XVIII que pertencia à classe dos Castrati e foi o mais popular e bem pago cantor de ópera da Europa em sua época.

Os castrati eram cantores que, a fim de terem preservada, ainda na fase adulta, a tessitura vocal da infância (cuja extensão vocal é quase idêntica àquela própria das tessituras vocais femininas, sejam de soprano, de mezzo-soprano ou de contralto), eram submetidos a uma operação cirúrgica de corte dos canais provenientes dos testículos, a partir da qual a chamada “mudança de voz” não ocorria.

Como não há nenhum registro gravado das músicas cantadas por Farinelli, a trilha sonora do filme foi cantada por uma soprano e um tenor, que tiveram suas vozes mixadas, a fim de atingir o alcance vocal de Farinelli. Dirigido por Gerard Corbiau e estrelado, entre outros, por Stephano Dionisi, Enrico Lo Verso, Elsa Zylberstein e Jeroen Krabbé, a produção cinematográfica italiana arrematou o Globo de Ouro, como melhor filme estrageiro, além de ter sido indicada ao Oscar, na categoria de melhor filme estrangeiro.

A produção utiliza-se, como trilha sonora, de temas musicais de compositores barrocos como Riccardo Broschi, Johann Adolf Hasse, Georg Friedrich Händel, Giovanni Battista Pergolesi e Nicola Antonio Porpora. Confira o vídeo abaixo de uma das músicas mais populares da época cantadas por Farinelli e surpreenda-se com o impressionante agudo do final.

Anúncios